quinta-feira, 26 de março de 2015

"Ao adquirirem esta marca de sardinha, as pessoas também “compravam” um pouco de sua própria história, resgatando laços emocionais e afetividade."


No dia 4 de Novembro de 2011, publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :


"A empresa de sardinhas enlatadas Oscar II, com sede em Bergen decidiu utilizar histórias como estratégia para chamar a atenção do consumidor. Passou a vender, além da lata normal do produto no varejo, uma safra de sardinha especial, armazenada por alguns anos, embalada em uma caixa de madeira. Até aí tudo normal - se não fosse o fato desta caixa vir com as informações sobre o navio de pesca da sardinha, a data da captura do peixe, as condições meteorológicas deste dia e o nome e história do pescador.
Ao adicionar um adereço simbólico ao produto, a empresa pode justificar um preço maior, contou uma história e criou vínculos com o consumidor - muitos clientes escolhiam o produto procurando nomes de pescadores que pareciam com os nomes de seus familiares, por exemplo. Ao adquirirem esta marca de sardinha, as pessoas também “compravam” um pouco de sua própria história, resgatando laços emocionais e afetividade. Ou seja, se identificavam com o produto e se reconheciam nele. Uma clara demonstração de que o valor intangível de uma instituição, traduzido pelo valor de sua marca, muitas vezes supera o seu valor tangível, reforçando a importância de administrar o simbólico." Carolina Soares

Abraços saudáveis

Nenhum comentário: