sexta-feira, 17 de novembro de 2017

"A rara descoberta, que inclui mais de 2 mil moedas medievais e miríades de ouro, foi desenterrada em setembro, mas anunciada apenas nesta terça-feira pela equipe da Universidade de Lion. O tesouro também contém 21 moedas islâmicas medievais (dinar) originais do século XII da Espanha e do Marrocos, além de um anel de ouro."



Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"Arqueólogos descobrem tesouro medieval enterrado há oito séculos

Mais de 2 mil moedas e um anel estavam num famoso mosteiro francês
PARIS — Arqueólogos franceses descobriram um tesouro medieval na área de um famoso mosteiro na área central da França que permaneceu ali por mais de oito séculos. A rara descoberta, que inclui mais de 2 mil moedas medievais e miríades de ouro, foi desenterrada em setembro, mas anunciada apenas nesta terça-feira pela equipe da Universidade de Lion.
O tesouro também contém 21 moedas islâmicas medievais (dinar) originais do século XII da Espanha e do Marrocos, além de um anel de ouro.
A equipe conduzia uma escavação de rotina quando encontrou o tesouro no mosteiro de Cluny, um dos maiores do período medieval da Europa Ocidental.
A pesquisadora Anne Baud afirmou que a descoberta, considerada "excepcional", permanece como um mistério. Ainda não se sabe por qual motivo o tesouro estava escondido ali, e porque seu dono nunca voltou para buscá-lo."

Fonte: O GLOBO

Abraços saudáveis

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Um livro que ensina a arte da costura...


Publicámos no Facebook, no mura do Projeto Memória :

Um livro que ensina a arte da costura...

O livro foi feito em Dublin, na Irlanda, na segunda metade do século XIX.

Fontes: Northeast Auctions / Rita Ferro

Abraços saudáveis

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

"Movia-se por contrapeso de água e cada cabine tinha a capacidade de 25 pessoas. O público entrava pelo nº 13, do Largo de São Julião e saía também no nº 13 do Largo da Biblioteca, actual Largo da Academia Nacional de Belas-Artes sendo necessário percorrer um passadiço metálico sobre a Calçada de São Francisco."


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"Sabia que....
Em 1897 foi construído o Ascensor do Município-Biblioteca, conhecido popularmente pelo elevador de São Julião ou da Biblioteca. Subia na vertical a uma altura de 29 metros. Movia-se por contrapeso de água e cada cabine tinha a capacidade de 25 pessoas.
O público entrava pelo nº 13, do Largo de São Julião e saía também no nº 13 do Largo da Biblioteca, actual Largo da Academia Nacional de Belas-Artes sendo necessário percorrer um passadiço metálico sobre a Calçada de São Francisco.
Este elevador encerrou em 1915, sendo substituído pelo carro elétrico.
in Revelar LX, Fotografia Arquivo Municipal de Lisboa"

Fonte: Câmara Municipal de Lisboa
Abraços saudáveis

terça-feira, 14 de novembro de 2017

"A história de Lisboa ficou à mostra num hotel de cinco estrelas O antigo palácio dos Condes de Coculim foi transformado em hotel, que vai ter à mostra vestígios arqueológicos que vão desde o neolítico até ao século XIX"


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"A história de Lisboa ficou à mostra num hotel de cinco estrelas
O antigo palácio dos Condes de Coculim foi transformado em hotel, que vai ter à mostra vestígios arqueológicos que vão desde o neolítico até ao século XIX"


Leia o artigo na íntegra, clicando aqui .

Abraços saudáveis

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

"1937 Manifestação de taxistas a entrar no Rossio, em Lisboa"


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"1937 Manifestação de taxistas a entrar no Rossio, em Lisboa. Pormenor da chapa metálica, com o nº correspondente ao dia de descanso obrigatório."
Fonte: Fotold.com (via Paulo Mestre)
Abraços saudáveis

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

"Museu do Louvre em Abu Dhabi abre ao público no sábado, com 300 obras emprestadas por museus franceses."






Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"Dez anos após o lançamento do projeto, o novo museu, concebido pelo arquiteto francês Jean Nouvel, será oficialmente inaugurado numa cerimónia prevista para as 20 horas locais (16 horas em Portugal continental), com a presença do presidente da República Francesa Emmanuel Macron.
Situado na Ilha de Saadiyat, na capital dos Emirados, o museu conta receber cerca de cinco mil visitantes nos primeiros dias da abertura, que será festejada até 14 de novembro."
Para ver mais fotos, clique aqui 
Abraços saudáveis

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

"Meu pai disse que essa mulher foi quem nos tirou da cegueira das letras. Depois de gerações e gerações de cegos, ela nos deu à luz, porque é um parto, né? Então eu me criei levando flores para a Luzia. Hoje meu pai tem 82 anos e a gente faz isso todo ano. Então, a primeira mulher mais importante na minha vida, a mais inspiradora é ela, que eu nunca conheci, que é chamada Luzia e que nos deu as letras."

Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :
A história de Luzia de Figueiredo Neves by Eliane Brum
"Essa mulher tem uma história que é uma história literária, parece uma história de romance, mas não é. Ela é a filha de um grande estancieiro do Rio Grande do Sul com uma escrava. Esse estancieiro, que foi um cara criado para ser general, para ser advogado, que era o que acontecia naquela época, se chamava Sabino de Andrade Neves. A família Andrade Neves é uma das mais ilustres do Rio Grande do Sul, eles são nome de rua etc.. O Sabino se apaixonou por essa escrava e a engravidou. Até aí era comum, só que o que não era comum foi o que esse homem fez, porque ele se apaixonou e foi deserdado porque ficou com ela. E imagina o que era naquele tempo ficar com uma escrava! Quando ela morreu, ele criou a filha, Luzia. Ele criou a Luzia virando professor nos povoados rurais do Rio Grande do Sul, a filha cresceu e virou professora também. Então era o pai e a filha professores em escolinhas rurais do fim de mundo, lá no Rio Grande do Sul, no início do século 20. Essa mulher foi a primeira professora do meu pai e meu pai é o primeiro alfabetizado na família, depois de gerações e gerações de analfabetos. Por causa dessa história, por causa dessa mulher. Eu nunca a conheci, ela morreu antes de eu nascer e meu pai nos ensinou a todo ano levar flores ao túmulo da Luzia. Meu pai disse que essa mulher foi quem nos tirou da cegueira das letras. Depois de gerações e gerações de cegos, ela nos deu à luz, porque é um parto, né? Então eu me criei levando flores para a Luzia. Hoje meu pai tem 82 anos e a gente faz isso todo ano. Então, a primeira mulher mais importante na minha vida, a mais inspiradora é ela, que eu nunca conheci, que é chamada Luzia e que nos deu as letras."
Abraços saudáveis