terça-feira, 12 de dezembro de 2017

“Onde, afinal, começam os direitos humanos universais? Em pequenos lugares, perto de casa – tão perto e tão pequenos que eles não podem ser vistos em qualquer mapa do mundo."


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

“Onde, afinal, começam os direitos humanos universais?
Em pequenos lugares, perto de casa – tão perto e tão pequenos que eles não podem ser vistos em qualquer mapa do mundo. No entanto, estes são o mundo do indivíduo; a vizinhança em que ele vive; a escola ou universidade que ele frequenta; a fábrica, quinta ou escritório em que ele trabalha. Os lugares onde cada homem, mulher e criança procuram por igualdade de justiça, oportunidade e dignidade sem discriminação."
Eleanor Roosevelt
Há 69 anos (passado dia 10 Dezembro) era aprovada em Paris a Declaração Universal dos Direitos Humanos.
Abraços saudáveis

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

"Os que têm memória são capazes de viver no frágil momento presente. Os que não a têm não vivem em lugar algum."


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"Os que têm memória são capazes de viver no frágil momento presente. Os que não a têm não vivem em lugar algum."
Patricio Guzmán
Abraços saudáveis

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

"Operators at the switchboard of the American Telephone and Telegraph Company's long distance exchange."


Publicámos no Facebook, no mura do Projeto Memória :

"Telephonists Pictures
Operators at the switchboard of the American Telephone and Telegraph Company's long distance exchange."
Fonte: Getty Images
Abraços saudáveis

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

"(...) as pessoas respondiam a questões tão diferentes como “O que é que a família representa para si?”, “Qual é o seu maior medo?”, “ O que sonhava em criança?” ou “Sente-se livre?”. O resultado é emocionante!"


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

Pessoas de todo o mundo, um só questionário. Eis a fórmula usada pela equipa de repórteres que recolheram as entrevistas, reunidas em vídeos temáticos na exposição 7 mil milhões de Outros.
Depois de se apresentarem, dizendo nome, idade, profissão, situação familiar e nacionalidade, as pessoas respondiam a questões tão diferentes como “O que é que a família representa para si?”, “Qual é o seu maior medo?”, “ O que sonhava em criança?” ou “Sente-se livre?”. O resultado é emocionante!
7 mil milhões de Outros é um projeto da Fundação GoodPlanet, com o apoio do BNP Paribas Net,que chegou a Portugal (em 2014) numa co-produção do Projeto Memória, da Fundação EDP e do museu da eletricidade.
Abraços saudáveis

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

"Dargavs, a cidade dos mortos, na verdade é um cemitério. São cerca de 100 criptas, construidas entre os séculos XII e XVI. Todas as necrópoles tem uma arquitectura bem singular (...)"


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"Dargavs, a cidade dos mortos
Dargavs, a cidade dos mortos, na verdade é um cemitério. São cerca de 100 criptas, construídas entre os séculos XII e XVI. Todas as necrópoles tem uma arquitectura bem singular e uma torre solitária se destaca um pouco mais a direita.
Se ficasse em algum outro país europeu, o seu dia a dia seria diferente. Existiriam filas de turistas, lojinhas vendendo cartões postais, imãs para frigoríficos e t-shirts. Barracas de comida nas proximidades disputariam os turistas. Hotéis com vista para a “cidade”, tours diários directament de Vladikavkaz, passes especiais para visitas nocturnas em dias de lua cheia. Com certeza, estaria na lista do património da Unesco e figuraria entre as principais atracções de qualquer país.
Mas (para nossa sorte) não está! Ela esta perdida no meio do Cáucaso, isolada, parada no tempo, cercada por montanhas de pelo menos 4 mil metros…”
Fonte: saiporai.com

Abraços saudáveis

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

"O SECRETÁRIO do POVO Na Terreiro do Paço ( Praça do Comércio ) um secretário do povo escreve uma carta a pedido de uma rendeira analfabeta."


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :


"O SECRETÁRIO do POVO 
Na Terreiro do Paço ( Praça do Comércio ) um secretário do povo escreve uma carta a pedido de uma rendeira analfabeta.
Na viragem do séc. XX, Portugal era um País esmagadoramente rural. Lisboa era o maior centro urbano, com uma população cerca das 350.000 pessoas, maioritariamente analfabeta - três homens em cada quatro e seis mulheres em cada sete não sabiam ler nem escrever - proveniente das zonas rurais, que procurava emprego na grande cidade, mas que aqui vivia em condições infra-humanas, em casas insalubres, sobrelotadas, que necessitavam de “apoio social".
Data: 1931
Fotógrafo: não identificado
in Arquivo do Jornal O Século"

Via Lisboa Antiga (Zita Madeira)

Abraços saudáveis

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

"Teste de um capacete de futebol em 1912"


Publicámos no Facebook, no mural do Projeto Memória :

"Teste de um capacete de futebol em 1912"
Fonte: mistérios do mundo
Abraços saudáveis