quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Programas antidrogas e álcool recuperam funcionários de grandes empresas

Tive a honra de receber um e-mail do Prof. Dr. Anthony Wong, chefe do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da FMUSP e diretor do IBET (Instituto Brasileiro de Estudos Toxicológicos e Farmacêuticos), com o seguinte teor:

Caros amigos,

Venho por meio desta solicitar vossa atenção ao evento I Fórum Internacional de Programas de Prevenção ao Uso Indevido de Álcool e outras Drogas nas Empresas, proposto por mim e eminentes autoridades americanos e europeus, a realizar-se em São Paulo, em 14-15 de outubro próximo no Hotel Maksoud Plaza. Estarão presentes palestrantes nacionais e estrangeiros de renome, que abordarão este importante problema da nossa sociedade, atingindo de 16 a 40% dos profissionais e trabalhadores.

Atenciosamente,

Anthony

Pela importância do evento, convido os meus leitores com responsabilidades nesta área dentro das respectivas empresas, a estarem presentes, tendo em conta que:

Objetivos do Fórum: Implantação de Políticas corporativas sobre uso indevido de álcool e drogas no ambiente de trabalho

Programas antidrogas e álcool recuperam funcionários de grandes empresas

Organização Mundial de Saúde aponta que 70% dos indivíduos que abusam do álcool estão empregados e, deste total, 63% utilizam drogas

86% dos dependentes químicos que se submetem aos programas apresentam recuperação, segundo o IBET

Dados no Brasil

  • Entre 10% e 15% dos funcionários de empresas são dependentes de algum tipo de droga. (fonte – Cebrid)
  • Menos de 5% das empresas têm algum tipo de programa de prevenção e redução do uso de drogas e álcool. Nos Estados Unidos, França e Inglaterra, esse índice chega a 90%, a maioria delas integrantes da lista da Fortune 500.
  • Os custos decorrentes do uso indevido de substâncias psicoativas são estimados em 7,9% do PIB, por ano, o que representa US$ 28 bilhões. (fonte - BID)
  • Entre 2000 e 2002, as doenças do fígado foram a segunda causa de morte entre homens de 35 a 59 anos. Entre as mulheres da mesma faixa etária, o álcool foi o oitavo causador de mortes. (fonte – Fundação Seade)

Dados gerais

  • Para cada dólar investido pelas empresas em tratamentos que visam a recuperação dos dependentes químicos, existe um ganho ( ou economia) de US$ 3. (fonte – BID)
  • Há redução de 91% das faltas, diminuição de 88% dos problemas disciplinares e 97% menos casos de acidentes de trabalho. (fonte – BID)
  • Um alcoólatra ou viciado que consegue manter o trabalho tem quase três vezes mais chances de superar a doença.

Informações einscrições: (11) 5587- 5232 e (11) 5594 – 4669 ou no http://www.managingeventos.com.br/forum_internacional/

Abraços saudáveis,

2 comentários:

isabel ferreira disse...

Boa tarde João,

Este assunto das drogas no trabalho é por demais actual e importante.

Já pensou abrir este tema de discussão no thestartrakers?

Abraço saudável

João Marques disse...

Bom dia Isabel,

Concordo consigo que é um tema onde temos que FAZER muito mais e acredito que o canal corporativo, é um meio excelente para divulgar/promover ações concretas (com benefícios concretos para as próprias empresas).

Por questões de foco (para maximizar resultados), tenho me dedicado mais à questão de mudar os hábitos das pessoas (aqui também o papel das empresas é fundamental para conseguirmos resultados expressivos), nos quesitos alimentação saudável e não sedentarismo.

O tópico "Quero emagrecer...", mesmo sendo o 3o tópico mais comentado (logo a seguir ao da "Summer Party" e o do "Benfica"), ainda está tudo muito aquém dos resultados que gostaria de ver nos TSTs.
Desde já convido-a a visitar o nosso tópico (criado pelo Paulo Pombal) e conto consigo as suas participações sempre que considere oportuno fazê-las!

Abraços saudáveis,

João