sábado, 9 de maio de 2009

20 feridos num avião, por desleixo com a própria protecção familiar!

Ontem escrevi sobre a questão dos passageiros dos autocarros interurbanos, não usarem cintos de segurança.

Nem de propósito, hoje, 20 pessoas ficaram feridas, num voo entre Munique e Lisboa, também por estarem sem o cinto de segurança apertado (clique aqui para ler a notícia na íntegra).

Eu acredito que temos todo o direito de corrermos riscos por prazer, para ultrapassarmos limites, para sentirmos adrenalina, etc. Mas para quem quer maximizar Qualidade de Vida, existem certos hábitos, que podem ser seguidos e que evitam que os nossos projectos de vida, possam ser ceifados em questões de segundo e sinceramente usar o cinto de segurança é um deles.

Aos meus leitores mais despreocupados, espero que estes dois acidentes, os levem a reconsiderar a questão da prioridade "protecção familiar" na gestão do seu dia a dia.

Abraços saudáveis

Um comentário:

Élio disse...

Olá João, boa tarde!
Concordo plenamente com você no uso do cinto, entretanto as empresas deveriam ser mais enfáticas não só na necessidade, mas na obrigatoriedade de seu uso. Veja que no caso do avião, após a decolagem a tripulação desliga a ordem de uso, desobrigando os passageiros de seu uso.
No caso de ônibus, passa-se o mesmo e um pouco pior. Num carro, o maior perigo aos do banco dianteiro é os do banco traseiro não usarem-no, pois se precepitam sobre o banco, quebrando-o, depois sobre a pessoa dianteira que quebra o cinto dianteiro e morre prensada. No ônibus por este mesmo processo, cria-se um efeito dominó,matando dezenas de pessoas (Há um caso assim, a uns 10 anos atrás, ocorrido na BR-116,perto de Fazenda Rio Grande, com dezenas de mortos). Neste caso, se alguém usar cinto, acaba mais mal ainda.
Passa um pouco de autoritarismo, mas tratando-se de vida, para não se lamentar depois, precisa obrigar-se e multar as pessoas e empresas.
Abraços.
Élio j. B. Camargo